terça-feira, 7 de outubro de 2008

Fronteiras ideológicas

"Quem não vê, entretanto, que por detrás da fome e da tirania imperantes nos países marxistizados, há uma doutrina causadora de todo o mal, isto é, a de Marx? E quem não vê que, do outro lado, não haveria nenhum grau ou forma de prosperidade, se ainda não estivessem em prática — com deploráveis deformações embora — os princípios ensinados pelo Antigo e pelo Novo Testamento, há milênios, sobre a família, a propriedade, a iniciativa individual, o lucro etc.?
"Em última análise, a causa máxima da miséria do lado de lá é uma doutrina. E a inspiradora suprema de uma crescente fartura do lado de cá é uma doutrina também. — E não é doutrinária, essencialmente doutrinária, obviamente doutrinária, esta fronteira?

"Se não o é, se o império marxista não é essencialmente ideológico, pergunto como explicar que a Rússia mande tantos dólares, sem nenhuma compensação econômica, para manter o regime de Cuba? E por que tanto trabalha e gasta Fidel para exportar sua ideologia e sua miséria por toda a América?"

(Fonte: "Folha de S. Paulo", 8 de agosto de 1971)
Postar um comentário